30/10/2017

Degradação do solo traz prejuízos para a produtividade e para o meio ambiente

A crescente degradação dos solos está preocupando os agricultores no país. Segundo uma pesquisa realizada pela Global Soil Forum, estima-se que nos últimos 50 anos a quantidade de terra agriculturável per capita diminuiu cerca de 1% a cada ano. Dados da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) apontam que mais de 33% das terras têm alto ou médio grau de degradação.

 

A preocupação com o solo já era tão grande que, desde 2002 a IUSS (União Internacional de Ciências do Solo) instituiu o dia cinco de dezembro, como o “Dia Mundial do Solo” e, desde então, vários debates centralizam-se em discutir sobre estes problemas, com o objetivo de alertar os produtores.

 

Segundo a SNA (Sociedade Nacional de Agricultura), existem alguns fatores que têm causado a degradação em terras agriculturáveis em todo mundo, dentre elas destacam-se:

 

1- Erosão: no que se refere às ações da natureza, a chuva é o principal agente causador da erosão. Quando ocorre uma pancada de chuva em um solo sem cobertura (ou com pouca cobertura vegetal), ocorre a desagregação das argilas e as mesmas ficam predispostas a perdas por escorrimento ou lixiviação, pois a água, que antes era absorvida pelas raízes das árvores e plantas, passa a escorrer criando fluxos preferenciais de escorrimento, iniciando com a erosão laminar e se desenvolvendo em tamanho e capacidade danosa até formar as voçorocas;

 

2- Salinização: a concentração progressiva de sais pode ser causada pelo manejo mal executado do processo de irrigação em regiões áridas e semiáridas, onde ocorre maior evapotranspiração do que irrigação. Assim a baixa eficiência da irrigação e a drenagem insuficiente nessas áreas contribuem para a aceleração do processo de salinização, pois os sais acabam se acumulando na superfície ao invés de infiltrar no perfil do solo, fazendo com que as terras se tornem improdutivas em curto espaço de tempo;

 

3- Compactação: é um processo decorrente da manipulação intensiva, quando o solo perde sua porosidade pelo adensamento de suas partículas. Na agricultura, os principais agentes causadores da compactação do solo são: trânsito de máquinas agrícolas, tais como tratores e colheitadeiras, presença intensiva de animais, em condições de umidade do solo inadequadas e baixo teor de matéria orgânica do solo. A compactação é danosa para a produção agrícola, pois influencia negativamente o crescimento de raízes, fazendo com que a planta tenha problemas em seu desenvolvimento. Ela também diminui a movimentação da água pelo solo, pois devido ao aumento da densidade a água não infiltra, ocasionando excesso de líquido nas camadas superficiais, podendo provocar erosão e falta de oxigenação as raízes;

 

Portanto, todas essas problemáticas e tantas outras devem ser prioridades governamentais e da sociedade em geral para que o meio ambiente não sofra as consequências. Assim, associar também práticas que propiciam a alta eficiência na utilização de insumos agrícolas vão gerar menor impacto ambiental e são de relevante valor para a população como um todo, sem comprometer a rentabilidade da lavoura.

 

Fonte: FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura)