24/01/2018

Mercado de milho registra calma movimentação de negócios no Brasil

 De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, após o surgimento de maiores ofertas no começo da semana, o que trouxe pressão às cotações em algumas regiões, os produtores adotaram uma nova dinâmica na comercialização e optaram por reduzir as fixações de preço da metade da semana em diante. Essa estratégia contribuiu para diminuir a pressão baixista. No lado dos compradores o interesse pelo cereal se mostrou limitado ao longo da semana, diante da boa disponibilidade de estoques para atender a demanda no curto prazo.

  No porto de Paranaguá, a cotação registrada foi de R$ 31,00 para a saca de 60 quilos de milho, abaixo dos R$ 31,50 praticados na semana passada. No Porto de Santos o preço ficou em R$ 31,50, ante os R$ 32,50 da semana passada. No Paraná, a cotação em Cascavel ficou em R$ 28,50, abaixo dos R$ 29,00 praticados na semana anterior. Em São Paulo, o preço esteve em R$ 29,50 na Mogiana, ante os R$ 30,00 da última semana. Em Campinas CIF, o preço da saca ficou em R$ 33,00, ante os R$ 32,50 da semana passada.

   No Rio Grande do Sul, preço não sofreu alterações na variação semanal e ficou em R$ 30,00 em Erechim. Em Minas Gerais, o preço permaneceu em R$ 30,00 na praça de Uberlândia. Em Goiás, o preço em Rio Verde seguiu em R$ 26,00. Em Mato Grosso, o preço permaneceu em R$ 22,00 em Rondonópolis.

    Segundo Iglesias, com o maior interesse nas negociações envolvendo a soja, a perspectiva é que o mercado de milho permaneça com uma movimentação limitada na comercialização nos próximos dias.

    Nas exportações, a movimentação de negócios está sendo positiva ao longo de janeiro. Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços, divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior, as exportações de milho do Brasil apresentaram receita de US$ 228,9 milhões em janeiro (9 dias úteis), com média diária de US$ 25,4 milhões. A quantidade total de milho exportada pelo país ficou em 1,485 milhão de toneladas, com média de 165 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 154,10.

    Na comparação com a média diária de dezembro, houve uma retração de 18,1% no valor médio exportado, uma baixa de 17,4% na quantidade média diária e perda de 0,9% no preço médio. Na comparação com janeiro de 2017, houve ganho de 129,6% no valor médio diário exportado, elevação de 150,3% na quantidade média diária e desvalorização de 8,3% no preço médio.

Fonte: Agência Safras