09/04/2018

Duas lagartas se combinam e geram nova ameaça.

Pragas ficaram resistentes a defensivos disponíveis.

Cientistas australianos confirmaram a aparição de um híbrido de duas lagartas responsáveis pelas principais pragas do mundo em uma nova espécie fortalecida, segundo uma descoberta de fontes científicas. Uma das pragas é a Helicoverpa zea (Lagarta da espiga do milho), que afeta uma centena de cultivos nos continentes europeu, asiático e africano, incluindo também cultivos de tomate e de soja, de grande mobilidade, e que desenvolveu resistência à maioria dos defensivos agrícolas disponíveis no mercado.

O outro é a Lagarta-do-Cartucho (Spodoptera Fugiperda), originária da América, segundo indicou um comunicado da agência de investigação científica australiana, a Organização da Comunidade de Pesquisa Científica e Industrial (CSIRO), que alertou que a combinação de ambos é um “preocupante” híbrido sem barreiras geográficas.  A Lagarta-do-Cartucho já é atualmente uma das principais pragas que ameaçam a agricultura brasileira, segundo dados da Embrapa.

Os cientistas encontraram que entre o grupo de lagartas estudados cada indivíduo era distinto, o que sugere um “enxame de híbridos” no qual múltiplas versões do mesmo híbrido poderiam estar presentes na mesma população.

O diretor da pesquisa, Craig Anderson, alertou sobre as consequências que essa nova praga pode ter em cultivos em todo mundo, principalmente, no continente americano.

“Estimativas recentes indicam que 65% da produção agrícola do continente americano estaria em risco se for afetada pela Lagarta da espiga do milho [Helicoverpa zea]”, afirmou o pesquisador Anderson

FONTE: AgroLink